quarta-feira, 14 de junho de 2017

Enquanto o Canadá não vem #1 – Planejamento Financeiro

Como ainda tenho muitos meses até chegar no Canadá, decidi iniciar essa série para trazer reflexões sobre quais mudanças eu fiz e pretendo fazer para atingir meu objetivo de imigrar. Vamos lá!


A não ser que você seja uma pessoa com uma poupança recheada ou com muitas condiçõe$, a sua primeira providência diante do Plano Canadá será: juntar dinheirinhos. Muitos, muitos dinheirinhos.

Passei os últimos três anos da minha vida vivendo para o momento: comprei um número incalculável de livros de Direito, de canetas esferográficas e de passagens para São Paulo. Não sei precisar quantas e quantas vezes gastei dinheiro com coisas absolutamente supérfluas, e agora que estou precisando economizar de verdade, todas essas lembranças vêm à tona.

Antigos tempos de riqueza

Como tenho tentado ao máximo não ficar remoendo o passado, pego essas memórias como um ensinamento que tardou, mas chegou: consciência financeira.

Minha mãe me repetiu essa mesma lição cerca de 915,7 vezes no decorrer dos últimos anos e, como é o natural da vida, uma dada hora damos razão ao que nos foi dito com tanta ressalva. Hoje eu vejo que se eu tivesse juntado R$ 300,00 reais por mês nos últimos 36 meses, já teria mais de 10 mil reais em minha conta.

A satisfação de minha mãe lendo esse post

A quem eu atribuo essa falta de disciplina com dinheiro? A mim mesma, é claro. Eu não sei vocês, mas uma das coisas que eu tenho dificuldade é: manter a concentração numa tarefa que exija um mínimo esforço constante por longos períodos de tempo. Por exemplo: durante a faculdade, sempre achei mais fácil virar a noite estudando para uma prova do que estudar todos os dias por 20 minutos.

Creio que eu tenha uma personalidade de corredor de curta distância, e não de maratona. Consigo me dedicar por horas a fio a uma atividade, mas depois que alcanço o resultado almejado, eu me desinteresso e busco formas de me parabenizar pelo esforço despendido.

#yolo

Depois de detectado o problema, não me restou outra opção a não ser trabalhar sobre ele. Tenho a sorte de poder dizer que nasci numa família bastante estruturada, já que nunca na vida nos faltou nada. No entanto, não somos ricos, e é de minha responsabilidade economizar o que eu ganho para poder ir para lá.

O lado bom é: estou conseguindo resultados. Claro que ainda é muito prematuro para dizer que me transformei na Rainha da Economia, mas é impressionante como um pouquinho de força de vontade pode ter um impacto tão grande nas nossas vidas.

Só para deixar ainda mais claro, adianto que minha realidade é muito confortável: não sou casada, não tenho filhos e moro com meus pais. Ou seja, tenho a chance de utilizar o meu salário apenas com o básico. Partindo desta realidade, listo quais foram as mudanças que implementei no meu orçamento para economizar:

1) Fiz um levantamento de todos os meus gastos fixos: Usando uma tabela no Libre Office, detalhei todos os meus pagamentos mensais para ter ideia do quanto eu estava gastando pelo simples fato de existir. Por alto, são eles: telefone, estacionamento, gasolina e academia;

2) A zoeira infelizmente tem limites: Pois é. Tive que estipular um teto para as minhas saídas semanais. Não que antes eu fosse a Rainha do Camarote! Jamais, jamais. Adoro um botequinho barato. Mas enfim, escolhi um valor X para gastar com a diversão. Não importa se eu vou sair 1 ou 10 vezes naquela semana - o valor X é o máximo que eu irei gastar. Para me ajudar, tenho guardado o cartão de débito em casa, e mantenho na carteira apenas dinheiro em espécie para essas saídas em potencial;


3) Cartão de crédito: Nunca gostei de usar cartão de crédito. Odeio não saber quanto do meu salário do próximo mês vai ser "comido" pela fatura do anterior! Nossa, que angústia que me dá. Então só uso o cartão de crédito para compras parceladas ou para compras internacionais (como a equivalência dos diplomas);

4) Poupança: Assim que recebo meu salário, deposito de imediato a maior parte dele na poupança. Esse é mais um dos conselhos de minha mãe: "finja que esse dinheiro nunca existiu e você nunca vai sentir falta dele";

5) Parar de comprar aleatoriedades: Será que você precisa mesmo comprar mais um brinquedo para o seu cachorrinho (cof cof história pessoal cof)? Você realmente precisa comprar um ukulelê para desenvolver seu lado musical? É necessário refletir quanto gastamos nessas bobagens e no tanto que esse dinheiro nos fará falta no futuro. Por isso, vamos ao próximo item;


6) Pensar em dólar canadense: Se você tivesse deixado de comprar sua 12ª calça jeans de R$ 140,00, você já seria o suficiente para comprar um conjunto de panelas completo no Canadá; o combo indigesto do Mc Donald's que custou R$ 22,00 roubou o lugar de um Angus Steak & Cheese no Tim Hortons; seu ingresso de R$ 450,00 para um dia no Rock in Rio já pagaria mais da metade de sua cama. Entendeu o espírito, né?

É isso, gente. Caso vocês tenham outras dicas do que fazer para juntar uma grana extra até o landing, agradeço MUITO! Deixem os seus comentários com ideias, repreensões pelo passado pródigo e sugestões para o próximo tema.

9 comentários:

  1. Amei as dicas e vou procurar me planejar mais!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se tiver mais dicas de organização, pode jogar por aqui! Vou agradecer muito. Boa sorte na jornada!

      Excluir
  2. Pára tudo!!!
    Você é geminiana??
    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    Aqui em casa não é diferente, apesar do perfil ser: casal + 2 cachorros + aluguel.
    Decidimos imigrar na lua de mel quando nós havíamos acabado de tomar um calotão do buffet do nosso casamento e mudarmos da periferia para o Centro da cidade.
    Ficamos assim 2 anos estudando os idiomas e pagando as contas que tinham sobrado: empréstimo por conta do calote e as prestações do nosso carro.
    Somente em 2016 quitamos tudo. Aproveitamos para vender o carro e iniciarmos a poupança.
    Cortamos todas as compras supérfulas e as saidinhas para butecos e almoços.

    Assim começamos a ver um sol brilhar no horizonte, pois já estamos com o nivel avançado no idioma, não devemos nada e podemos ver a poupança aumentar um pouco a cada mês.
    Ufa que alívio!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HAHAHA não sou geminiana! Sou de Sagitário haha

      Isso de mudar pra outro país demora, né? Haja planejamento, haja coisa pra pensar. Que """bom""" que vocês conseguiram pegar essa experiência negativa para transformar um plano tão legal. O interessante é que o seu blog foi um dos primeiros que eu achei quando comecei a pesquisar isso do Canadá! É muito bom acompanhar a história dos outros e ver por qual caminho devemos seguir.

      Eu já li alguns textos sobre isso de levar cachorro pro Canadá, mas ainda sou super receosa de colocar a minha filha numa caixinha e enviá-la para lá. Ainda não tenho data para ir, mas já sofro por mega antecipação com a ideia da pobrezinha no porão do avião :~ Como vocês tão lidando com isso?!

      Excluir
  3. Bom, então vc notou que ja focamos em Manitoba e Quebec antes do Express Entry né?

    Um dos dogs vai na cabine conosco porque ele é minúsculo, já a fêmea vai no porão porque é de porte médio. No começo doeu, mas agora ja acostumamos com a ideia e preferimos não ficar pensando muito. O importante será ir numa boa Companhia, sem muita conexão(ou zero) e passar confiança para ela. Os Pets captam tudo da gente!

    Mas alem de lidar com a po**a da ansiedade, é difícil lidar com o fato de ainda não ter a grana suficiente. E qndo penso que quero ir o mais preparada possível para não passar perrengue, aí que o trem fica feio mesmo.
    Nossas famílias não tem dinheiro para nos socorrer se der merda lá... então, todo cuidado e planejamento é pouco para nós!

    Você ja tem uma meta para a data? (Isso nos ajudou muito)
    Ja escolheu aonde vai querer pousar?

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Ah, que legal! Em breve estaremos todos nas bandas canadenses. E super consigo me identificar com a ansiedade de vocês.

      Sobre as dogs, eu tenho uma fêmea que é porte médio também. Vou seguir o seu conselho de ficar de boas, e até lá, vou amadurecendo a ideia. Nem que eu tenha que ir pra São Paulo, ficar uns dias com a dog por lá, e depois seguir pra Vancouver - que é um lugar péssimo pra ter voo direto, péssimo mesmo.

      Vai ser em Vancouver mesmo que eu pretendo pousar, até porque aproveito e vejo minha irmã e o meu cunhado por lá.

      Eu pretendo ir no final de 2018/começo de 2019, porque também quero juntar o máximo de dinheiro que eu puder. Até porque eu vou sozinha, sabe? Eu vou ter que ver como eu vou fazer pra alugar imóvel etc, e tudo vai ser mais caro, já que eu não vou ter com quem dividir (a priori).

      Vocês têm uma meta para data?

      Excluir
  4. Ah, que legal! Em breve estaremos todos nas bandas canadenses. E super consigo me identificar com a ansiedade de vocês.

    Sobre as dogs, eu tenho uma fêmea que é porte médio também. Vou seguir o seu conselho de ficar de boas, e até lá, vou amadurecendo a ideia. Nem que eu tenha que ir pra São Paulo, ficar uns dias com a dog por lá, e depois seguir pra Vancouver - que é um lugar péssimo pra ter voo direto, péssimo mesmo.

    Vai ser em Vancouver mesmo que eu pretendo pousar, até porque aproveito e vejo minha irmã e o meu cunhado por lá.

    Eu pretendo ir no final de 2018/começo de 2019, porque também quero juntar o máximo de dinheiro que eu puder. Até porque eu vou sozinha, sabe? Eu vou ter que ver como eu vou fazer pra alugar imóvel etc, e tudo vai ser mais caro, já que eu não vou ter com quem dividir (a priori).

    Vocês têm uma meta para data?

    ResponderExcluir
  5. Primeiro tópico que eu leio aqui, é porque esse lance de economia me chama a atenção hahaha deve ser porque não sei por onde começar rsrsrs, mas comecei cortando academia minha e do marido e queríamos um carro, mas compramos uma moto, riscos eu sei rsrs.... Tbm não tenho data, e a ansiedade é equilibrada dia a dia ... Só sei que se Deus permitir nós iremos. Bjos 😘

    ResponderExcluir

Postagem em destaque

Enquanto o Canadá não vem #2 – Aprender Francês

Comecei a fazer inglês aos 11 anos de idade. Lembro como se fosse ontem: duas vezes na semana, vários colegas da mesma idade e aquela leve ...

Popular Posts